Um deles conseguiu sair do veículo, mas foi atingido e morreu ao lado do carro. Uma garota e outro rapaz morreram ainda dentro veículo.

Três jovens foram executados dentro de um carro na madrugada deste domingo (08), em Antônio João, a 301 quilômetros de Campo Grande, na fronteira com o Paraguai. Prima de uma vítima e namorada de outra, a sobrevivente de 22 anos desabafou nas redes sociais. “Quero acordar desse pesadelo e ver você sorrindo como sempre, brincado”.

Segundo informações do boletim de ocorrência, a sobrevivente; Dhieyson da Silva Dias, de 20 anos; José Renato Portela dos Santos, de 21 e Tamilis Sanabria da Silva, também de 21, saíram de uma lanchonete por volta das 3h (de MS) e quando seguiam para um bar, foram abordados por dois homens em uma motocicleta, que atiraram em seguida. Ao ouvir os primeiros tiros, Dhieyson abriu uma das portas de trás do veículo para a namorada sair. “Ele me empurrou para fora do carro. Salvou a minha vida”, disse ao G1. Ela então correu e pediu ajuda.
Resultado de imagem para Tamilis Sanabria da Silva
O rapaz também conseguiu sair do veículo, mas foi atingido e morreu ao lado do carro. Tamilis e José Renato morreram ainda dentro. O caso foi registrado como homicídio qualificado pelo recurso que dificultou a defesa da vítima, em relação aos três mortos, e tentativa de homicídio, em relação a jovem que sobreviveu. Até a publicação desta reportagem nenhum suspeito havia sido preso.
40 disparos de 9mm
A dupla que executou três jovens na madrugada de domingo (08), em Antônio João, a 301 quilômetros de Campo Grande, na fronteira com o Paraguai, fez cerca de 40 disparos contra o carro em que as vítimas estavam. De acordo com o delegado Rodrigo Blonkowski, que atendeu ao caso inicialmente, os tiros foram disparados de pistola 9 milímetros.
Resultado de imagem para Tamilis Sanabria da Silva
Das três vítimas, Dhieyson da Silva Dias, de 20 anos e José Renato Portela dos Santos, de 21, tinham ficha criminal. O mais velho por furto e por receptação, este último quando adolescente, e havia sido ameaçado de morte em 2019, em Bela Vista. O mais novo por porte de drogas. A terceira vítima é Tamilis Sanabria da Silva, de 21 anos, que não tinha ficha criminal e é prima da jovem de 22 anos que sobreviveu ao atentado. Os quatro estavam em um carro indo de uma lanchonete para um bar quando foram abordados por dois homens em uma motocicleta. Os suspeitos atiraram e Dhieyson conseguiu abrir a porta do veículo e empurrou a namorada para fora, que correu e sobreviveu.//Vitoria da Conquista Noticias
Dhieyson salvou a namorada, mas morreu em seguida — Foto: Redes sociais


Tamilis foi morta a tiros na madrugada deste domingo (08) — Foto: Redes sociais