Felipe Martins, 28 anos, morreu no local. O corpo ficou preso nas ferragens e foi removido pelos bombeiros.

Uma pessoa morreu em um acidente por volta das 3h da madrugada deste sábado (11), no km 4 da BA-986, em Arraial d’Ajuda, distrito de Porto Seguro. Um carro com seis ocupantes capotou, saiu da pista e atingiu um poste e o muro de uma borracharia. O passageiro Felipe Martins, 28 anos, morreu no local. O corpo ficou preso nas ferragens e foi removido pelos bombeiros.

No veículo, que era conduzido por Felipe Fraga Saraiva, 22 anos, havia mais quatro pessoas: Carlos Eduardo Vieira dos Santos, 23 anos, Sharon Loredan Borges Conceição, 23, Kelly dos Santos dos Anjos, 22 anos e uma adolescente de 17 anos. Os feridos foram socorridos pelo Samu e encaminhados, inicialmente, para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Arraial d’Ajuda. Posteriormente, todos foram transferidos para o Hospital Luís Eduardo Magalhães, em Porto Seguro. Nenhum corre risco de morte.
“Fui o primeiro a prestar socorro, pois o acidente aconteceu perto da minha casa. Acredito que o motorista tenha cochilado, pois não havia marcas de frenagem na pista”, contou uma testemunha ao Radar 64. Outra pessoa que presenciou o acidente relatou para a polícia que o motorista fazia uma ultrapassagem. As seis pessoas que estavam no carro são de Trancoso. Segundo apurou a polícia, elas voltavam de Arraial d’Ajuda, onde participaram de uma festa entre amigos em uma casa. Os profissionais que atuaram no resgate e no atendimento médico relataram para delegado Bruno Barreto que todos os feridos estavam com hálito alcoólico.
O motorista ainda vai ser ouvido e, segundo o delegado, pode ser autuado em flagrante por acidente culposo, por dirigir sob o efeito de álcool. “Há indícios, ainda, de que ele desenvolvia alta velocidade”, frisa. Está em vigência, no município de Porto Seguro, um decreto da prefeitura que proíbe aglomeração de pessoas e recomenda o distanciamento social, como forma de evitar o contágio por coronavírus. A medida também impôs o fechamento de comércios considerados não essenciais. // Radar 64.