Próximo passo é patentear a ideia e procurar empresas dispostas a fabricá-lo


Na segunda-feira (04), Naftali Bennet, ministro da Defesa de Israel, disse que o laboratório militar do país teve um "avanço significativo" no desenvolvimento de uma solução contra a Covid-19.
Veja também:Instituto Butantan pesquisa nova vacina para o coronavírus; entenda[Especial: Covid-19] Infecção por coronavírusSensor aderido à pele pode detectar primeiros sintomas do novo coronavírusCoronavírus derruba venda de iPhones, mas serviços e acessórios sustentam AppleO que acontece se alguém injetar ou ingerir desinfetante contra o coronavírus?



O Instituto de Pesquisa Biológica de Israel (IIBR), responsável pela criação, declarou que o anticorpo desenvolvido é capaz de neutralizar o novo coronavírus no organismo dos portadores. No entanto, ainda não está claro se o tratamento foi testado em animais ou já passou para a fase de aplicação em humanos.


De acordo com uma declaração, emitida pelo escritório de Bennet, o desenvolvimento do anticorpo está concluído. O próximo passo é "patentear a descoberta e abordar empresas internacionais para produzir o anticorpo em escala comercial".
Solução contra o vírus



No início de fevereiro, pouco antes do vírus chegar em Israel, Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, instruiu o IIBR e o Ministério da Saúde do país a trabalharem juntos para criar uma solução contra o vírus e estabelecer maneiras de fabricação.

"É possível que, mesmo nesta questão, se trabalharmos rápido o suficiente, com um orçamento apropriado e as pessoas talentosas que temos, Israel estará à frente do mundo", disse ele na época.

Situação mundial

Grupos de pesquisadores no mundo todo buscam vacinas e tratamentos contra a doença. A maioria deles ainda está nos estágios iniciais de testes em humanos. Até agora, porém, não há como prever qual deles é eficaz – ou se é que existe algum.

Anthony Fauci, membro do governo dos EUA, alertou que, mesmo que tudo corra perfeitamente, o desenvolvimento de uma vacina deve levar de 12 a 18 meses, e que, qualquer coisa abaixo disso, "estabeleceria um recorde de velocidade". Mesmo que uma vacina seja criada de imediato, não haverá o suficiente para todos, inicialmente.

Via: Times of Israel