O estado da Bahia fechou acordo com a Rússia para testar a vacina Sputnik V. Depois do Paraná, o governo de Rui Costa (PT) assinou um acordo de confidencialidade com o governo russo para realizar testes da vacina contra o novo coronavírus.

Em evento no final da manhã desta quarta-feira (9), Costa lembrou que o governo do estado já havia assinado um documento e informou que o protocolo mais formal foi fechado na noite de terça (8), incluindo garantias para as duas partes.

O acordo prevê que, caso a vacina seja aprovada, o estado da Bahia será o revendedor, por meio da Bahiafarma. Ainda segundo Costa, o estado deve receber 500 doses da vacina para testes. Ele não deu informação sobre prazos, mas disse que será "em breve".

O protocolo do governo russo será submetido ao comitê de ética do Instituto Couto Maia, que é referência tratamento de doenças infecciosas em Salvador, além de passar pelo Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A vacina russa Sputnik V entrou nesta quarta-feira (9) na fase 3 de testes clínicos, informou o ministro da Saúde do país, Mikhail Murashko, segundo a agência de notícias estatal Tass.

“Hoje, a terceira fase de testes clínicos da vacina [da Covid-19], criada pela primeira vez no mundo na Federação Russa, está começando”, afirmou Murashko em uma coletiva.

A fase 3 tem como objetivo avaliar de forma mais completa a segurança a eficácia da substância. A Rússia desencadeou muitas dúvidas em agosto, quando anunciou ao mundo a primeira vacina para Covid-19 aprovada para uso público, antes dos testes da fase 3 estarem concluídos.
Foto: Andrey Rudakov - 7.set.2020/ Fundo Russo de Investimento Direto / Reuters