Detento Jean Carlos revelou em depoimento que sofria abusos sexuais de Valmir, enquanto estava sob efeito de “remédios controlados”.

A equipe de reportagem teve acesso a informações sobre os motivos que levou o detento Jean Carlos Nunes Figueiredo, a matar o seu colega de cela, o estuprador Valmir Domingas de Jesus, vulgo “Belezera”, 31 anos de idade. O crime aconteceu no início da tarde desta terça-feira, 29 de setembro, no interior da Cela 05 do Seguro, no Conjunto Penal de Teixeira de Freitas (CPTF).


Segundo o detento Jean Carlos, que cumpria pena por crime de roubo (Art. 157), ele tomava remédios controlados, entre esses, remédio para dormir, e que Valmir Domingas estava lhe abusando sexualmente quando ele apagava por conta dos remédios. Ainda segundo o Jean, os abusos aconteceram por três vezes, e que das últimas duas vezes, ele perdoou o Valmir Domingas porque ele é evangélico. Mas, o Jean disse que da terceira vez que o Valmir lhe abusou sexualmente, ele recebeu uma mensagem de Deus, que o Valmir Domingas não tinha mais jeito, e que era preciso despachá-lo para o outro mundo, e assim ele o fez.

Valmir foi morto por estrangulamento dentro da cela. A Polícia acredita que o Jean possa ter atingido a cabeça do Valmir para que ele desmaiasse, e o executou com uma corda ou fio no pescoço. O caso ainda está sendo investigado pela Polícia Civil, que instaurou inquérito policial. O Valmir estava preso há um ano, após uma ação da DEAM e da 8ª COORPIN, com apoio de policiais do Espírito Santo, onde o Valmir se escondia após ter estuprado uma criança de 10 anos de idade no Bairro Colina Verde em Teixeira. // Liberdade News.

Perversão: Maníaco é preso se masturbando no banheiro químico da Exposição  - LiberdadeNews