Questionado pelo site Achei Sudoeste sobre o decreto estadual impondo toque de recolher em todo estado e quais seriam as medidas adotadas em Brumado, o prefeito Eduardo Lima Vasconcelos (PSB) se esquivou do questionamento fazendo uma analogia. “Napoleão quando voltava da guerra ele chegava em todas as cidades tocava o canhão e batia o sino. Em um determinado lugar em que chegou, deram a salva de 21 tiros em homenagem ao imperador e o sino não tocou. Então, ele condenou o capelão da igreja à guilhotina. No outro dia cedo, quando ia passar a guilhotina, o religioso que acompanhava o ato perguntou qual era o seu último desejo e ele disse que era explicar ao governador o motivo pelo qual não bateu o sino. E assim foi feito, levaram ele até o governador. O mesmo explicou que não bateu o sino porque no campanário da igreja não tem sino. Pronto, tá explicado. Simples assim”, declarou.//
Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste