Ícaro Jordan Rosa, de 28 anos e outras oito pessoas da família, incluindo a esposa, passavam o fim de semana na praia, quando ocorreu o acidente.



Um vendedor que mora na capital paulista está há quatro dias desaparecido após entrar no mar em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Ícaro Jordan Rosa, de 28 anos, foi visto pela última vez pelos familiares ao salvar uma prima que se afogava. O jovem começaria em um novo emprego no dia seguinte ao seu desaparecimento.

Ícaro e outras oito pessoas da família, incluindo a esposa, passavam o fim de semana na Baixada Santista. Eles voltariam da viagem na noite de domingo (7), após aproveitarem o dia de sol na Praia do Canto do Forte. No entanto, quando já estavam para sair da praia, Ícaro e dois primos decidiram dar um último mergulho no mar, por volta das 16h30, segundo relatou ao G1 a esposa Tamara Mota. “Quando já estavam no mar, a prima começou a se afogar, e ele viu, nadou para salvar ela”, disse.


O mar estava muito agitado, por isso, o outro primo que estava na água decidiu voltar à areia para avisar os familiares e chamar os guarda-vidas. Enquanto isso, Ícaro conseguiu alcançar a prima, empurrando-a em direção à areia, para que as pessoas que chegavam em socorro conseguissem puxá-la para uma área mais segura. No entanto, o mesmo impulso que colocou a prima mais próxima da segurança, empurrou Ícaro para trás, e ele acabou sendo puxado por uma forte correnteza e afundando. Essa foi a última vez que os parentes lembram de tê-lo visto. A prima foi socorrida pelos parentes e guarda-vidas, e passa bem. Ela não precisou de atendimento médico e já voltou para São Paulo, onde mora.

Buscas no mar

O Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar) iniciou as buscas por Ícaro imediatamente após a notificação da ocorrência. No entanto, os guarda-vidas só atuam enquanto há luz solar. As buscas se encerram por volta das 17h e são retomadas às 8h do dia seguinte. Embarcações e motos aquáticas seguem auxiliando nas buscas, onde possíveis correntes de retorno possam ter arrastado o jovem. Amigos e parentes de Ícaro que ficaram na cidade também ajudam nas buscas. Segundo Tamara, o tio do vendedor conseguiu um caiaque emprestado para procurá-lo por mar, enquanto os familiares seguem andando por toda a extensão da praia e espalhando a foto dele para os moradores da região.



Os familiares acreditam que, como Ícaro sabia nadar e era atlético, há a possibilidade de encontrá-lo com vida e perdido em alguma ilha ou encosta da região. “Ele sabe nadar, é forte, tem uma estatura alta. Não tem como uma pessoa desse porte não ter reação nem de se debater. Ele pode ter chegado a uma pedra”, diz a esposa. Tamara também contou que, na segunda-feira, dia seguinte ao desaparecimento, o vendedor começaria em um novo emprego, onde atuaria como verificador de obras em uma empresa de engenharia. “Ele estava muito animado com isso. Era o desejo dele”, relata.// VCN.