Mesmo numa ilha vulcânica acostumada aos tremores ocasionais, essa é uma semana incomum para a Islândia. De acordo com o Escritório Meteorológico da Islândia, cerca de 17 mil terremotos atingiram a região sudoeste de Reykjanes na semana passada.

O maior deles, de magnitude 5,6 na escala Richter, ocorreu na manhã de 24 de fevereiro. Foi o mais forte de uma onda de tremores que continua a abalar os moradores da capital Reykjavík e das cidades ao redor, onde vivem dois terços da população islandesa. Os dois outros grandes terremotos (com magnitude de 5,0) ocorreram em 27 de fevereiro e 1º de março.