O advogado bolsonarista Leandro de Jesus (PRTB) irá pagar a quantia de R$ 5.400,00 para o Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (SINASEFE-IFBA) após vandalizar um outdoor com críticas ao presidente Jair Bolsonaro em setembro de 2020. O BNews teve acesso ao acordo, avalizado pela juíza Alessandra Vasconcelos Dumas de Medeiros Netto.

Na última quinta-feira (18), foi realizada uma audiência de conciliação virtual na queixa-crime movida pela entidade por danos, calúnia e difamação contra o militante que destruiu um dos outdoors da campanha "A morte não pode governar o Brasil", localizado no bairro do Dique do Tororó, em Salvador.  Na peça publicitária, Bolsonaro foi apresentado culpado pelas mortes provocadas pela Covid-19 no país. 

Nesta audiência do processo, que tramita na 7ª Vara Criminal de Salvador, foi acordado que ele irá ressarcir ao sindicato o valor em quatro parcelas de R$ 1.350,00 - sendo a primeira parcela depositada até o dia 29 de março e as demais no mesmo dia dos meses subsequentes.

Em nota, o coordenador geral do SINASEFE-IFBA, Matheus Santana, declarou que "essa foi uma conquista muito simbólica para o momento em que vivemos no Brasil e um recado para todos aqueles que em nome da intolerância com opiniões divergentes se julgam justiceiros da sociedade". 

"Para nós do SINASEFE-IFBA, que sofremos inúmeras ameaças nas redes sociais, essa resposta era o mínimo que esperávamos dentro do Estado Democrático de Direito. Sempre que for necessário acionaremos o Poder Judiciário contra qualquer pessoa que se sinta autorizado a fazer justiça com as próprias mãos, tentar silenciar, censurar, ameaçar, agredir – ainda que verbalmente – ou depredar bens alheios. Seguiremos nas trincheiras lutando! Não retrocederemos e não aceitaremos nenhuma forma de opressão machista, racistas e LGBTfóbica. Facistas não passarão! Estaremos sempre ao lado da classe trabalhadora", declara o coordenador.

Procurado pelo BNews, Leandro confirmou o acordo e afirmou que foi ele que sugeriu o pagamento. "Esta decisão judicial, na realidade, foi uma composição através de uma audiência de conciliação, através de composição, cederam. O sindicato cedeu por um lado e eu cedi por outro", ressaltou, elogiando a condução da juíza na audiência. Segundo ele, o valor servirá para ressarcir o custo de um outdoor. "O sindicato queria que eu me retratasse e eu, obviamente, não concordei com isso. Por outro lado, fiz a minha sugestão sem retratação. E o que aconteceu aconteceu exatamente desta forma, por decisão da magistrada".//Bnews

Leandro de Jesus foi candidato a vereador na eleição de 2020, mas acabou não se elegendo.

Leia também:
Sindicato ganha liminar contra advogado bolsonarista que depredou outdoor em Salvador