Na última terça feira (20), o dia foi de muitas tempestades isoladas próximas à Santo Estêvão, interior da Bahia.

Na manhã, nuvens Cumulus humilis ou pequenas Cumulus mediocris geraram uma possível nuvem funil. Mas a possível nuvem funil se dissipou rapidamente, em poucos segundos. Logo após nasceram nuvens Cirrocumulus que geraram intensas coronas (fenômeno óptico), e também nasceram Altocumulus.

Mais tarde nasceram inúmeras Cumulonimbus explosivas (com forte corrente de ar ascendente) isoladas em muitas direções.

Por fim, uma nuvem Cumulonimbus avançou com uma nuvem arcus, coloração verde, relâmpagos e muitas trovoadas. Daí, nuvens Cumulus avançaram de outra direção e provocaram muita chuva que causou alguns alagamentos em casas.

Uma nuvem arcus é uma formação de nuvens baixa e horizontal, tipicamente associada a nuvens Cumulonimbus ou Cumulus congestus.

Quando nuvens arcus estão extensas, geralmente prenunciam uma forte tempestade que se aproxima.

A nuvem arcus normalmente se desenvolve quando o ar frio de uma forte correnteza descendente, ou seja, a frente de rajada, associada à nuvem Cumulonimbus ou Cumulus congestus, afunda rapidamente no solo. Isso força o ar úmido e quente ao redor a subir ao longo da frente da rajada e, em seguida, esfriar e condensar, formando uma nuvem arcus na parte inferior da nuvem Cumulonimbus ou Cumulus congestus e na direção do movimento da nuvem. A nuvem arcus às vezes dura apenas um curto período de tempo.

Como as nuvens arcus geralmente se formam a partir de nuvens Cumulonimbus e correntes descendentes, elas podem ser acompanhadas de fortes rajadas de vento, chuva forte, granizo, trovões, raios e relâmpagos.

Os dois principais tipos de nuvem arcus são:

• Nuvem prateleira

• Nuvem rolo

Já a coloração verde é um tipo de coloração associada à nuvens Cumulonimbus. Uma nuvem Cumulonimbus que emite coloração verde é um sinal de que é uma forte tempestade, capaz de causar chuva forte, granizo, ventos fortes até tornados.

O efeito da coloração verde em tempestades se forma geralmente no final do dia, quando o ângulo do Sol é menor. O ângulo baixo do Sol causa uma tonalidade avermelhada no céu, que geralmente pode ser vista quando o Sol se põe no horizonte.

Ao mesmo tempo, as gotas de água espalham principalmente o comprimento de onda azul. Esta cor azul com fundo avermelhado causa um tom esverdeado na nuvem.

Essas tempestades severas com coloração verde, principalmente aquelas com incidências no Sul do Brasil e em outros lugares onde o clima severo é comum, geralmente são supercélulas, e tipicamente, produzem bastante chuva com vários raios. (Reportagem e fotos: Maikon Souza)