Com o objetivo de auxiliar a identificação de pessoas desaparecidas, o Ministério da Justiça e Segurança Pública lançou, nesta terça-feira (25), em um evento na sede do órgão em Brasília, a Campanha Nacional de Coleta de DNA de Familiares de Pessoas Desaparecidas.

O ministério resolveu utilizar a estratégia que já é bem sucedida em outros países, e entre os dias 14 e 18 de junho vai coletar materiais biológicos de familiares de pessoas que estão sendo procuradas.
O principal objetivo desta ação é poder cruzar as informações genéticas com o Banco Nacional de Perfis Genéticos (BBPG).


“A busca e localização de pessoas desaparecidas é uma questão urgente. Precisamos dar uma resposta para as milhares de famílias que vivem esse drama diariamente”, afirmou o ministro da pasta, Anderson Torres.

Os parentes deverão procurar o local indicado por cada uma das secretarias estaduais de segurança, nas 27 unidades da federação, onde fornecerão dados e o DNA para facilitar as buscas.

O Brasil tem, hoje, 57 mil boletins de ocorrência de pessoas desaparecidas e não localizadas. Somente nos últimos dois anos, foram 22 mil novos boletins.