Policiais que integram as forças de segurança empenhadas na captura do maníaco Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, encontraram uma carta abandonada no local onde o criminoso teria usado como esconderijo durante algum tempo, na região de Edilândia, em Goiás. No interior da residência, as equipes notaram, sobre a mesa, uma folha de papel A4, com um texto escrito à mão.


A carta, escrita com tinta de caneta esferográfica vermelha, discorre sobre quem possui o direito de morrer e o de viver. “Muitos que vivem merecem morrer, alguns que morrem merece viver”, diz o texto. O material foi apreendido e levado para perícia. Os policiais investigam se Lázaro escreveu ou apenas carregava o manuscrito, que replica algumas falas de um personagem da trilogia Senhor dos Anéis.

Curiosamente, junto com a carta foram deixadas algumas frutas, colocadas dentro de cestos de palha. Ainda havia uma toalha rosa forrando a mesa. O casebre teria sido usado como ponto de apoio pelo criminoso até ser descoberto pela polícia. Há uma região de mata ciliar próxima da residência, o que teria facilitado a fuga do autor da chacina.

Objetos queimados

No final da carta, o texto faz menção de “outras forças agindo neste mundo, além da vontade do mal”. De acordo com fontes policiais ouvidas pelo Metrópoles, a perseguição ao autor da chacina que tirou a vida de quatro pessoas da mesma família é extremamente difícil em razão da desenvoltura do criminoso na região de mata.

Lázaro, segundo os policiais, tem o costume de queimar todo tipo de objeto que ele carrega e que não irá mais usar. Roupas velhas e molhadas, restos de comida, tudo é jogado no fogo. Além disso, o criminoso costuma caminhar pelos leitos dos riachos e córregos, para dificultar o trabalhos dos cães farejadores empregados na caçada.

A força-tarefa trocou tiros com o maníaco na tarde dessa quinta-feira (17/6), após ele ter fugido das proximidades da casa do pai. Dezenas de policiais civis e militares, além de viaturas e três helicópteros foram mobilizados na operação. Um pouco antes do confronto, cães farejadores encontraram um pano ensanguentado, o que reforça a suspeita de que o criminoso estaria ferido.

Chacina

As digitais de Lázaro foram encontradas na casa da família Vidal. Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15, teriam sido mortos por ele a tiro e facadas. O crime ocorreu na madrugada do dia 9/6, no Incra 9, em Ceilândia.

Ele ainda sequestrou Cleonice Marques de Andrade, 43 anos, esposa de Cláudio e mãe das outras vítimas. O corpo dela foi encontrado no dia 12, em um matagal. O cadáver estava sem roupa e com um corte nas nádegas, em uma zona de mata perto da BR-070.

A morte de Cleonice reflete a crueldade de Lázaro. O criminoso, autor da chacina que tirou a vida do marido e dos dois filhos da mulher, permanece foragido há 10 dias. O maníaco matou a mulher com um tiro na cabeça.

A vida criminal de Lázaro começou em 2008. Na época, ele foi preso por um duplo homicídio em Barra do Mendes, município baiano que fica a 540 km de Salvador. Ele é natural da cidade.

Segundo a Polícia Civil baiana, o criminoso foi indiciado pelos assassinatos de José Carlos Benício de Oliveira e Manoel Desidério Silva, no povoado de Melancia. O inquérito, concluído e enviado à Justiça, aponta que ele atingiu as vítimas com disparos de espingarda e depois fugiu, apresentando-se dias depois na unidade policial. Após a prisão, ele acabou fugindo para o Centro-Oeste.

No DF, chegou a ser condenado por roubo e estupro. Mas, também, conseguiu fugir do sistema penitenciário em 2016.

A capacidade de fuga de Lázaro já é velha conhecida da polícia e do sistema prisional goiano. Em julho de 2018, ao tentar escapar junto de outros cinco detentos do presídio de Águas Lindas (GO), no Entorno do Distrito Federal, ele foi o único que obteve êxito.

Lázaro foi preso no dia 8 de março de 2018, por suspeita de assassinatos ocorridos na Bahia, além de estupro, roubo e porte ilegal de armas no DF. Ele tinha, na época, três mandados de prisão em aberto.

A ausência dele entre os internos do presídio de Águas Lindas só foi sentida no momento de recontagem dos detentos, após a ação policial no local. No entanto, a essa altura, ele já estava longe.

A fuga ocorreu durante a madrugada, por volta das 2h, de 23 de julho de 2018, segundo a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária de Goiás (DGAP).

Personalidade violenta

Laudo psicológico feito no âmbito de um dos processos contra ele, em 2013, constatou que o homem tem características de personalidade violenta, como agressividade, ausência de mecanismos de controle, dependência emocional, impulsividade e instabilidade emocional.

Ainda de acordo com os psicólogos que assinam o documento ao qual o Metrópoles teve acesso, o criminoso tem possibilidade de “ruptura do equilíbrio, preocupações sexuais e sentimentos de angústia”.

O autor, segundo os especialistas, teve o desenvolvimento psicossocial prejudicado devido a agressões familiares, uso abusivo de álcool e drogas, falecimento familiar, abandono das atividades escolares, trabalho infantil e situação financeira precária.