Casos como os da agressão sofrida por Andressa Rosa Lustosa, ciclista que se acidentou depois de ser importunada sexualmente, faz com que diversas mulheres percam o interesse pelo ciclismo. Viviane Mendonça, do Paraná, que lidera o coletivo 'Vou de Bike e Salto Alto', afirmou que são frequentes os relatos de ciclistas que são assediadas enquanto pedalam. O suspeito de ter cometido assedio contra uma ciclista enquanto pedalava, foi preso na terça feira (28).

Saiba mais:  Ciclista cai após ser apalpada por passageiro em carro

'Muitas mulheres deixam de pedalar por medo de assédio. E este é um medo que nós temos não porque somos ciclistas, mas porque somos mulheres. Diariamente mulheres deixam de fazer o que gostam por causa destas agressões", relata Viviane. "Eu acho que está na hora de alguém tomar uma atitude. A gente não está aguentando mais esse tipo de situação. É humilhante nós mulheres não podermos sair na rua para fazer uma atividade física. Você não pode sair na rua por medo. O que é isso? Em pleno século 21, é triste. Não é normal isso", completa. 

Atualmente, o coletivo conta com mais de 23 mil participantes pelo território brasileiro.

A Policia Civil afirma que o caso é investigado como importunação sexual e lesão corporal. A vítima prestou depoimento e fará exame de corpo de delito.

Com informações do G1.