O cachorro "Maluquinho" não deixou o dono por nenhum minuto durante o atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), na noite de quinta-feira (16), em Londrina, no norte do Paraná.

Segundo o socorrista que atendeu a ocorrência, Sérgio Picoloto, ao colocarem o paciente na ambulância, imediatamente, o cachorro pulou no veículo e ficou com o tutor, que é morador em situação de rua. O homem, de 51 anos, foi atendido ao ser encontrado caído na calçada, perto do cachorro.

"Não tinha nem como deixar o Maluquinho ali, porque nós transportamos esse paciente para a UPA Jardim do Sol e ele ia desencontrar do dono com certeza. Talvez ia sair correndo atrás da ambulância, ia desencontrar do dono, e se esse animal ficasse com esse trauma, podia ser atropelado na rua correndo atrás da ambulância", explicou Picoloto.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que não é ideal levar animais para unidades de saúde ou ambulâncias, mas que nesse caso prevaleceu a sensibilidade do socorrista.

De acordo com Sérgio, foi bastante trabalhoso chegar perto do paciente, por cota do Maluqinho. "Deu até trabalho para chegar no paciente por conta do Maluquinho, do cachorrinho, ele não queria deixar a gente atender o paciente, ficava rosnando, cuidando do dono. Aí perguntamos o nome do cachorro, conversamos com o cachorrinho, colocamos o paciente na ambulância e automaticamente ele pulou também, ficou em cima da maca, do paciente, e não deixou um segundo", contou.

O morador em situação de rua não teve o nome divulgado, mas a secretaria informou que ele passou por exames e recebeu soro com o cachorro por perto. Depois de receber alta, voltou para as ruas e não foi mais encontrado, segundo a secretaria.//Bnews