Um amigo da família do eletricista Gutemberg Félix da Silva, 41 anos, disse que ele tinha ido ao Rio de Janeiro para buscar a família e ir para Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, quando sofreram um acidente na BR-163, nessa terça-feira (21), em Mato Grosso do Sul.

O acidente também matou a mulher de Gutemberg, Priscilla Maurício da Cruz, 37 anos, e as filhas deles, Gabrielly Félix da Cruz, de 11, e Melissa Félix da Cruz, de 8. O gerente administrativo da empresa onde a vítima trabalhava, Leandro Ramos, disse que, Gutemberg tinha começado a trabalhar no estabelecimento em setembro deste ano, e que, agora, depois que tinha que se firmado no emprego, foi para São Gonçalo, no Rio, buscar a família.

Ele já tinha alugado um apartamento, em Várzea Grande, onde a família iria morar. Nesta quarta-feira (22), Leandro foi até o local do acidente, entre Coxim e Rio Verde de Mato Grosso, a mais de 200 km de Campo Grande, onde o carro de passeio que o Gu8temberg dirigia se chocou de frente com um caminhão cegonha e ficou completamente destruído. Ele reconheceu os corpos das vítimas.

“Ele tinha vindo sozinho para Mato Grosso e agora foi buscar a família no Rio e houve essa fatalidade”, contou. Segundo Leandro, Gutemberg tinha viajado sozinho na semana passada para trazer a família para Mato Grosso e a mudança em si. “Fomos pegos de surpresa. Ele passaria o Natal em Várzea Grande, com a família”, contou. Os corpos das vítimas ficaram presos às ferragens e foram retirados com uso de equipamento conhecido como desencarcerador. Os corpos foram liberados, e enviados à São Gonçalo (RJ), no início da tarde desta quarta, onde ocorrerá o sepultamento da família.

Além da família, um cachorro que viajava no carro também morreu. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a colisão aconteceu entre um caminhão-cegonha e carro de passeio, onde a família carioca estava, no km 690 da BR-163. O motorista do veículo de carga não se feriu. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil de Rio Verde de Mato Grosso, em Mato Grosso do Sul. Os corpos da família carioca devem ser enviados para o Rio de Janeiro. (g1)