A Polícia de Pernambuco identificou o assassino da menina Beatriz Angélica Mota, de 7 anos, morta com 42 facadas em 2015, dentro de um colégio, em Petrolina.

Nesta terça-feira (11), Marcelo da Silva, de 40 anos, confessou o crime, após seu DNA ser encontrado na faca usada para matar a garota.

A Polícia Científica de Pernambuco identificou o criminoso depois de sete perícias, no inquérito que possui 442 depoimentos. Uma força-tarefa foi criada em 2019, pelo governador de Pernambuco, Paulo Câmara, para investigar o caso. O assassino foi identificado depois que análise do DNA encontrado na faca foi comparada ao perfil encontrado no Banco Estadual de Perfis Genéticos.

Marcelo foi indiciado pelo crime, mas ainda não se sabe qual seria a motivação.

Relembre o caso

Em 10 de dezembro de 2015, Beatriz foi encontrada morta em um depósito de material esportivo, no colégio Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina.

A menina estava na festa de formatura da irmã e foi até o bebedouro, que ficava na parte inferior da quadra esportiva, onde o evento estava sendo realizado, quando desapareceu.

O corpo de Beatriz foi encontrado horas depois com diversos ferimentos e com a faca cravada no abdômen.//
(Foto: Reprodução/ Instagram)