O Superior Tribunal de Justiça (STJ) pretende gastar no mínimo R$ 590 mil com alimentos durante 2022. De acordo com informações do colunista Guilherme Amado, do site Metrópoles, neste sábado (8), a relação de itens adquiridos pela corte inclui R$ 36 mil em cápsulas de café, R$ 34 mil em pão de queijo e R$ 8 mil em refrigerante.

A licitação, também segundo a publicação, será aberta na próxima sexta-feira (14). A cesta de compras prevê lanches para ministros, servidores e o berçário. O STJ pediu ainda R$ 7 mil em biscoito casadinho com goiabada, o que dá 144 quilos no ano. A corte planeja comprar 1.300 pacotes de biscoito recheado, o que custará R$ 4 mil.

O STJ retornará às atividades presenciais a partir do próximo dia 1º de fevereiro. A data marcará a volta dos trabalhadores lotados nas unidades vinculadas ao gabinete da Presidência e à secretaria do Tribunal - bem como daqueles lotados na secretaria de serviços integrados de saúde e na de auditoria interna.

Para acesso e permanência nas dependências do STJ todos deverão apresentar o comprovante de vacinação completa contra a Covid-19, além de utilizar máscaras. O plenário da corte deliberou pelo retorno das sessões presenciais para fevereiro de 2022 no final de outubro do ano passado, mas sem definir uma data.

O início do ano do STJ também será marcado pela eleição para novos ministros da corte, que acontecerá no próximo dia 23 de fevereiro. O sufrágio formará uma lista quádrupla, formada integralmente por desembargadores de Tribunais Regionais Federais, de onde sairão os dois próximos novos membros do órgão.

Posteriormente, a relação de nomes será enviada ao presidente Jair Bolsonaro (PL) - a quem cabem as indicações. As vagas na composição do STJ foram abertas com as aposentadorias dos ministros Napoleão Nunes Maia Filho e Nefi Cordeiro. Na última segunda-feira (3), o presidente do STJ, Humberto Martins, testou para Covid-19.//Reprodução/Pixabay