Um frentista é suspeito de matar a mulher e os dois filhos a facadas na casa em que moravam, no setor Jardim Botânico, em Goiânia. Segundo registro na Polícia Civil, o autor se suicidou em seguida. A corporação está investigando o caso.

O Corpo de Bombeiros foi chamado ao local na noite de terça-feira (1º) e constatou que todos estavam mortos, deixando os corpos aos cuidados do Instituto Médico Legal (IML). O casal era Júnior Costa e Silva, de 38 anos, e Tatiane Sales Nunes, 23, e um casa de crianças de 7 e 3 anos. De acordo com a Polícia Técnico-Científica, na manhã desta quarta-feira (2), os corpos dos adutos já haviam sido periciados, mas faltava realizar os procedimentos nos das crianças. Nenhum havia sido liberado até por volta de 9h20.

O g1 entrou em contato com o delegado responsável pelo caso e aguarda informações sobre as investigações. Os moradores contaram que o homem era frentista de um posto de combustíveis e a mulher trabalhava como atendente em uma padaria. A auxiliar de serviços gerais Marilúcia Machado contou à TV Anhanguera que mora há anos na região e conhecia toda a família. Segundo ela, a tia do homem, que mora no mesmo lote em que o crime aconteceu, gritou pedindo por socorro.

“Quando chegamos, infelizmente o crime ja tinha acontecido. […] Chocou todo mundo porque a gente jamais imaginava que uma pessoa como ela fosse morrer assim”, comentou. Apesar do susto, Marilúcia disse que Tatiane já havia contado que o marido chegou a ter uma espécie de “surto” e precisou tomar medicamentos em uma época em que moraram em uma fazenda. A vizinha também disse que o homem era ciumento. No entanto, consta no registro da Polícia Civil que tudo aconteceu após uma discussão do casal, mas que a motivação do crime ainda está sob investigação. A corporação apreendeu celulares e armas usadas para serem periciadas.