O personal resolveu dar entrevista para explicar como tudo ocorreu naquele dia e evitar que notícias falsas continuassem surgindo

“Não é por causa de um surto que eu vou desconhecer uma pessoa que eu convivo há três anos”, disse o personal trainer Eduardo Alves, ao se referir a sua esposa, Sandra Mara, com quem ele garante que continua casado, pois confia nela. O casal ganhou a página dos principais sites do país após ele espancar Givaldo de Souza; um homem em situação de rua, que mantinha relações sexuais com a sua esposa, no carro dela, em Planaltina, no Distrito Federal.

Eduardo resolveu dar entrevista ao jornalista Léo Dias para explicar como tudo ocorreu naquele dia e evitar que notícias falsas continuassem surgindo envolvendo o nome dele, de Sandra e agora dos filhos. “Eu queria que as pessoas tivessem um pouco mais de empatia. Da mesma forma que hoje eu estou passando por isso, poderia ser com qualquer pessoa”, disse o personal, ao explicar que Mara teve um surto e segue internada desde então.

Na entrevista, Eduardo afirmou que Mara nunca havia feito ações de caridade e que ela passou a frequentar a igreja três dias antes do ocorrido, em 9 de março. Antes disso, apenas a mãe dele tinha esse hábito. Desde que o caso veio à tona, ele precisou se “excluir da sociedade”, saindo das redes sociais, fechando a própria loja e deixando de dar aulas a seus alunos, mas, ainda assim, sempre o colocam em grupos de whatsapp e ligam para chama-lo de ‘corno’ e afins.

Apesar de não ter histórico de doenças mentais, Eduardo diz que segundo os médicos isso pode acontecer com qualquer pessoa e não permitem que ele fale sobre o assunto com ela nas visitas. Ou seja, até o momento ela não sabe a repercussão que o caso tomou, nem prestou depoimento à Polícia, como foi divulgado, porém, o personal confirma que os áudios que estão circulando na internet são da sua esposa. Há a suspeita que tenha sido gravado no hospital para onde ela foi levada logo após.

Confira a entrevista completa: